E mais uma vez… pela vigésima vez…

É a segunda vez que escrevo sobre as conquistas de Roger Federer, em pouco mais de 6 meses, e quero que você saiba que sinto-me “obrigado” a fazer isso pelo papel de Treinador que exerço e por todo aprendizado que podemos usufruir ao acompanhar a carreira desse incrível esportista.

Você deve ter percebido o quanto sou fã e também torço por Roger e, neste sentido, falar sobre os aprendizados que tenho com ele é certamente algo relativamente fácil para mim.

Sigo o que ensino e, ao vê-lo jogar, concentro meu foco, analiso sua linguagem e comunicação durante e após os jogos, e reparo na sua fisiologia.

Esses são os 3 aspectos mais importantes que conheço para gerar qualquer estado emocional adequado para se atingir um resultado desejado. E Roger faz isso o tempo todo de forma magistral, entre outras coisas é claro.

Mas vamos por partes, deixa eu pontuar estes 3 itens em mais detalhes:

1-     O que você quer focar?

Roger está com 36 anos e talvez isso poderia ser um limite ou algo difícil de administrar. É claro que a idade será implacável conosco, não podemos e nem devemos “deixar de respeitá-la”, mas a primeira coisa que precisamos ser capazes é de se adaptar à realidade, se concentrar no que verdadeiramente queremos e acreditar que é possível.

Roger nos mostra isso a cada torneio, sendo capaz de fazer com sua equipe um excelente planejamento da temporada capaz de permiti-lo apresentar o seu melhor sempre.

Planejamento bem feito faz diferença e, acreditar que algo é possível também. Junte esses dois itens que terá condições melhores de manter o foco nas coisas importantes que podem lhe fazer bem e que irão te ajudar a alcançar os resultados. Procure deixar de lado o foco em preocupações muitas vezes “fantasmas” ou naquelas que você não tem como controlar ou mudar (sua idade por exemplo).

2-     Qual a sua linguagem? Ela está compatível com seus resultados que espera?

Raramente você verá Roger bravo, irritado, desanimado ou entrando em polêmicas. Ele também não usa palavras “ácidas”.

Isso não quer dizer que não ocorra (lembre-se que eu não foco nisso), quer dizer apenas que existem várias outras coisas tão positivas que coisas assim não ficam nem em segundo plano, talvez seja vigésimo plano e olha lá.

Aqui, para resumir, vemos uma perfeita sintonia de sua linguagem, seja verbal ou não verbal, dentro ou fora das quadras, com o grande esportista que é.

3-     Postura (fisiologia)

Ombros caídos, cabeça baixa, caras e bocas!? Não, você não irá ver muito isso, mas se ver, ignore, pois, ou você está vendo algo que não existe ou, aquilo na verdade significa outra coisa que você não consegue entender! Vai por mim!

Roger adota uma postura de Campeão sempre, quando ganha e quando perde.

Você pode até achar isso um “jogo” ou mera educação, mas acredite, para um grande Campeão, isso é muito mais, é um componente de seu sucesso, é seu “mindset”.

Raramente Roger perde um jogo, quem ganha é o adversário e ele sabe disso. Sua postura é de Campeão sempre, pois adota o que verdadeiramente quer ser, antes mesmo de ser e independentemente dos resultados.

“no futuro seus aprendizados se manifestarão por meio de outros jogadores que assim como eu, tanto admiram não somente o seu jogo, como também sua postura e influência positiva no Mundo”

E veja, uma grande diferença de um profissional neste nível é que ele não se deixa abalar com seus erros durante o jogo, sabe que é humano e que vai errar não uma ou duas vezes, um monte de vezes, e saber quem ele é de fato significa muito mais do que os resultados que obtém ou o que os outros dizem sobre ele.

Tenho, assim como provavelmente você deve ter os seus, os esportistas e profissionais que considero “de outro mundo” e que admiro profundamente, e Roger é um deles sem dúvida.

Sentirei ou, talvez, sentiremos muito sua ausência numa futura aposentadoria, mas no futuro seus aprendizados se manifestarão por meio de outros jogadores que assim como eu, tanto admiram não somente o seu jogo, como também sua postura e influência positiva no Mundo, isso mesmo, no Mundo.

Parabéns Roger! Talvez você não leia esse meu artigo, mas eu não posso depender de você ler para reconhecer o quanto estou aprendendo com você. Sei que tem outras grandes coisas ainda a realizar e estou aqui para acompanhar, admirar e blablabla…

Chega, minha escrita começa a ficar emocional demais, preciso trazer para o lado racional para poder comunicar mais a você leitor deste artigo, os importantes aspectos técnicos que destaquei. Quero deixar então a seguinte reflexão:

  • O quanto cada um de nós aprende ou adota uma postura que nossos ídolos demonstram (pessoal e profissionalmente)? Todo esportista deste nível treina, treina, treina e se concentra (se isola para ter foco no jogo). Será que fazemos o mesmo, será que treinamos nossas habilidades, sejam elas técnicas ou comportamentais? Será que nos concentramos verdadeiramente nas coisas que são importantes para nós, ou existe muito ruído em nossas vidas? Enfim, o que podemos aprender com eles e que ainda não aprendemos ou que já aprendemos e ainda não colocamos em prática?

Seja o que for, os resultados que estamos obtendo estão compatíveis com o que fazemos, da mesma forma que os títulos de Roger estão compatíveis com sua Grandeza.

Pense nisso e tenha uma ótima semana!

Luis Fernando Freitas

P.S.: Escrevi este conteúdo sem ler o que publiquei anteriormente sobre Roger, mas antes de publicar fui dar uma olhadinha! Me espantei com a semelhança do que escrevi, mas decidi não mudar absolutamente nada, pois isso demonstra verdadeiramente o que penso sobre este grande Campeão.