Emoções no dia a dia profissional

Desempenhar um trabalho no mais alto nível de competência requer tanto habilidades profissionais quanto um alto nível de equilíbrio emocional.

Não há como dizer que as emoções não estão presentes a todo momento na nossa vida e aliás, essa é uma das características que mais diferencia nossa espécie.

A falta de emoções faz com que passemos a agir de forma robótica, sem o anseio e a ambição da conquista, da mesma forma que a presença de emoções provoca elevação da motivação mas, se beirar o descontrole, pode acabar por deixar de lado quesitos técnicos aprendidos e necessários para a “vitória”, seja no mundo dos negócios ou em competições.

Uma mensagem importante talvez seja a respeito da necessidade de analisarmos e conhecermos as características da nossa equipe. Nossos funcionários e colaboradores precisam sim estar motivados, envolvidos com a empresa e com os objetivos dela, e é certo que na maioria das situações qualquer líder deseja ver o equilíbrio emocional de sua equipe, ou seja, o uso adequado das emoções e das técnicas aprendidas da função/profissão.

Não ver e não ter este equilíbrio pode não favorecer os resultados e até criar situações indesejadas. Enquanto esperamos conquistar um cliente, enquanto esperamos vender bem e ter lucro, podemos não atingir este objetivo da forma como planejamos, pois a motivação e o desejo muito elevado trazem uma carga emocional alta, e assim, pode-se favorecer o comportamento de ignorar certas regras ou mesmo a disciplina (e porque não considerar ainda, a ética), desagradando de alguma forma e gerando impactos que se manifestarão no médio e longo prazo.

Deixar um funcionário ou alguém da equipe agir como base somente nas emoções, combinado com sua elevada motivação, pode colocar em risco inclusive os “valores da empresa”.

Não devemos esquecer que atitudes 100% racionais ou técnicas podem também levar a caminhos indesejados. Podemos considerar apenas que as emoções colocadas a extremos podem provocar resultados diferentes e inverter o efeito que desejamos. E olha que ao escrever este artigo, pensei muito mais na motivação boa, aquela que é feita para colocar a pessoa ou as pessoas pra frente, motivação que faz as pessoas acreditarem nelas mesmas, não pensei muito nas motivações e emoções negativas (aquela que provoca medo ou receio).

A emoção/motivação sem limites pode provocar ambições sem limites. Tome cuidado com isso! Daí o pensamento:

“Defina seus valores antes mesmo de definir suas ambições”

Importante reforçar que não há consenso entre o que é melhor ou o que é pior, mais emoção ou mais razão, até porque isto depende de cada situação.

O mais importante é que possamos entender que é saudável e possível viver as emoções sem deixar as técnicas de lado, e que a combinação delas é que nos favorece no caminhar em direção ao que desejamos.

Luis Fernando Freitas
www.lfpdefreitas.com.br

Este texto também foi publicado em: https://www.linkedin.com/pulse/emo%C3%A7%C3%B5es-dia-profissional-luis-fernando-freitas?trk=pulse_spock-articles