Focus On Where You Want To Go…

Há exatos um ano eu realizava uma jornada que reforçaria definitivamente a minha mudança de estilo de vida, indo para a Califórnia, conhecendo o Vale do Silício e vivendo uma experiência mágica no UPW San Jose/CA.

Mas antes mesmo de contar tal experiência, no início de 2015 eu comecei o que posso considerar uma grande transformação em minha vida, dando início a uma sequência de treinamentos comportamentais intensos onde “mergulhei de cabeça” e pude descobrir muita coisa sobre mim, a tal da busca do autoconhecimento, que considero continuo até hoje e ainda longe de estar satisfeito, pois sei que tem muito mais coisa boa a caminho.

Vou destacar aqui neste texto a gratidão e satisfação de ter vivido a “sétima experiência intensa”, há exatamente 1 ano, com a minha chegada em San Jose/CA, 3 dias antes do início do UPW.

Você precisa focar no que você realmente quer fazer ou onde quer chegar ao invés de focar nos seus medos

Verdadeiramente o meu desejo de conhecer o Vale do Silício não é recente, não me recordo exatamente quando nasceu isso em mim, mas costumo dizer que sempre tive vontade de ir até lá, e eu não tinha sequer clareza nem de onde efetivamente ou geograficamente se localizava o Vale (acredite). Quando paro e reflito sobre isso que escrevi, fico pensando que, sinceramente, por muito tempo deve ter sido muito mais uma curiosidade do que um desejo verdadeiro e talvez por isso eu nunca tinha ido até lá.

Por outro lado, tenho bem claro que em agosto de 2015 eu tracei uma meta: ir para o Vale do Silício em agosto de 2016, e cheguei a compartilhar isso com algumas pessoas próximas tão grande passou a ser meu desejo.

Sinceramente eu não fazia a menor ideia de como realizar isso e nem tampouco do que fazer para que em um ano eu pudesse conhecer a região, gastar um volume relativamente grande de dinheiro para tornar isso real e, convencer minha família de me “permitir” viver este sonho. Mas eu já sabia que eu precisava acreditar, ter isso em mim e deixar minha mente e minha imaginação trabalhar a meu favor.

Eu simplesmente disse para mim mesmo que em agosto de 2016 eu iria para lá e criei uma imagem de tudo isso, passando a acreditar que seria possível

Neste momento você pode estar se perguntando: mas agosto de 2016 foi há mais de 1 ano! Sim, claro, você e eu sabemos fazer contas, mas vou detalhar mais o que de fato ocorreu. Só mais um pouquinho de paciência!

Passado este momento que destaquei em agosto de 2015, minha vida continuou normalmente e eu participei, em 2015, de mais outros dois treinamentos comportamentais (já havia feito um), e ainda tive tempo de escrever, ainda em agosto de 2015, um capítulo do livro Humanizar publicado em dezembro de 2015, tornando esta realização a minha primeira publicação para a “eternidade”.

Em fevereiro de 2016, querendo dar continuidade aos aprendizados, fui “convidado” para ir a Flórida para viver a experiência do UPW. Repare, na Flórida. Como tal convite foi nos últimos dias de inscrição, recordo-me que tentei realizar o pagamento via boleto bancário pois era a única opção disponível para mim naquele momento, e não consegui, mesmo tendo tentado por 3 vezes.

Recordo-me também que eu estava fora da minha cidade, trabalhando num cliente no interior de São Paulo, e isto dificultou um pouco as coisas. Após a primeira tentativa de pagamento, liguei para minha gerente do Banco, pedi ajuda, ela disse que mudou o status no sistema e que eu ia conseguir pagar, eu não consegui na segunda tentativa e liguei novamente. Ela disse que daquela vez eu ia conseguir e eu, pela terceira vez não consegui e acabei “desistindo”.

Entendi que não era para ser! Doeu, mas eu aceitei e imediatamente fui em busca de outra oportunidade que eu tinha interesse, desta vez o aprendizado seria sobre Coaching Ontológico com um Trainer estrangeiro.

Você sempre terá o que precisa mas isso não significa que sempre terá o que deseja no momento… Aprenda a aceitar isso!

Passada essa quarta experiência, surgiu a quinta e a sexta e, na sequência, tomei conhecimento do UPW San Jose/CA. Foi quando percebi que tinha chegado minha hora.

Por mais incrível que possa parecer, era 22 de agosto de 2016 quando eu consegui realizar a compra das passagens aéreas, reserva de hotel e compra do ticket do UPW.

Naquele momento, percebi que realizaria um grande sonho, ou melhor alguns grandes sonhos: conhecer a Califórnia, conhecer o Vale do Silício, ir num evento do Tony Robbins e viajar sozinho pela primeira vez para o exterior (e não seria a passeio).

Imediatamente veio a minha mente que um ano atrás eu havia traçado esta meta e, se “aparentemente” eu não havia cumprido ela no quesito “prazo”, pois havia dito que iria para lá em agosto de 2016, percebi também que isto se tratava apenas de uma característica humana (estar fortemente ligado ao tempo) e que não haveria impacto negativo algum viver os próximos 2 meses e pouco na ansiedade da experiência, muito pelo contrário, a minha viagem já começava naquele 22 de agosto de 2016.

Em 07 de novembro de 2016, as 00:05 eu embarcava rumo a Los Angeles e posteriormente pegava uma conexão para San Jose para viver uma das experiências mais marcantes na minha vida até agora

Reunido com mais de 200 pessoas, brasileiros com sonhos talvez parecidos com o meu, pude viver dias incríveis que por mais que eu queira, confesso que não conseguiria repeti-los. Mas isso não me impede de eu realizar coisas melhores!

Recordo-me de muitas pessoas, de muitos rostos, de detalhes que me emocionam por eu ter sido abençoado para viver o que vivi. Não houve absolutamente nada de negativo, tudo o que lá ocorreu foi entendido por mim como positivo, motivador e empolgante. Carrego até hoje tais lembranças que fazem parte do meu Ser.

Pude ajudar algumas pessoas e pude ser ajudado por outras

Vou precisar de um outro texto para poder explanar sobre a experiência do UPW, pois aqui ficaria longo demais.

Mas antes de terminar, destaco 3 coisas muito importantes para mim, fruto desta experiência:

  1. Tive a oportunidade de cumprimentar o próprio Tony, estendendo minha mão e sendo cumprimentado por ele (por mais babaca que isso possa parecer, de um fã que se empolga por um autógrafo ou algo do gênero, para mim, significou que ninguém é impossível de ser acessado, bastando que queiramos ter acesso a qualquer pessoa neste mundo e que sejamos inteligentes para conseguir isso. Pense então em se relacionar bem, ficar atento as oportunidades e ter coragem de arriscar);
  2. Estar sozinho num outro país, mais de 10 mil km de distância do seu “habitat” pode ser assustador e/ou realizador! Você tem uma oportunidade incrível de resgatar sua individualidade e se ver como Ser integrante do Universo. Isso só é possível se você topar “viajar sozinho com você”…
  3. Já confessei a muitas pessoas próximas: eu tenho que voltar para um lugar que eu gostei, não consigo não voltar! Por isso, em breve, ainda este ano, estarei retornando para a Califórnia para viver outras experiências, relembrar algumas e agradecer a mim, as pessoas próximas, as pessoas distantes, aos lugares, enfim… a tudo, a chance que tive de viver a experiência ímpar que vivi.

E para terminar (sem querer terminar porque escrever sobre isso me traz de volta a situação, os momentos, as emoções e aos sentimentos), muito mais do que eu fui fazer, muito mais do que eu fui aprender, valeu mesmo o que eu fui capaz de, literalmente, “trazer de volta”!

O que você gostaria de “trazer de volta” para sua vida? Vai buscar… seja onde for…

Grande abraço

Luis Fernando Freitas