One more lesson…

Sim, estou aqui novamente para falar de Roger Federer e para compartilhar mais uma grande lição.

Também sei que hoje Roger não triunfou como nós fãs dele desejaria pela 98o. vez em sua carreira, mas nem por isso deixamos de aprender algo.

Os últimos anos estão sendo de muitas comemorações e poucas “decepções” para quem acompanha e torce para este grande atleta, mas hoje Roger não conseguiu ser o “Federer” que tanto admiramos. Não por ter sofrido a derrota na final do torneio de Indian Wells, mas por não ter conseguido se superar nos momentos mais decisivos da partida.

Não vou destacar quais foram todos os momentos, mas dá para citar que vimos um Roger nervoso, impaciente, discutindo entre outros comportamentos “estranhos”. E então, a grande lição que podemos compartilhar é: por maior que sejamos, por mais títulos que tenhamos conquistado, por mais “sucesso” vivido, continuaremos a ser apenas um ser humano mortal, com qualidades e defeitos.

E se Roger nos mostra que pode ser igual a nós ao não se mostrar no padrão “Federer”, também é válido o pensamento que também podemos ser igual a ele e conquistar tudo o que desejamos e atingir o padrão “Federer” de ser.

Hoje, apesar de ter tido 3 matches points, Roger sucumbiu a grande categoria de Juan Martin Del Potro. E quando falo que Roger não foi o “Federer” que tanto conhecemos, isso está bem longe de dizer que jogou mal, até porque esteve bem próximo de ganhar.

É preciso dar os Parabéns para Del Potro, pois verdadeiramente mereceu a vitória de hoje, que certamente foi ainda maior por ser diante de Roger Federer, que ainda continuará a carregar o número 1 por pelo menos mais duas semanas.

Por fim, ao acompanhar um grande campeão como Roger, nunca se perde mesmo que ele perca jogos. Às vezes uma derrota aqui, outras vezes outra derrota ali, mas sempre com a possibilidade de aprender bastante em qualquer cenário com o grande campeão.

Um pouco triste pela derrota, feliz pela oportunidade de poder acompanhar e aprender com tudo isso.

Uma ótima semana!

Luis Fernando Freitas